fbpx
Pular para o conteúdo

Essa pode ser uma das propriedades sustentáveis mais eficientes do mundo

Essa pode ser uma das propriedades sustentáveis mais eficientes do mundo

Pedro Zacharias

08/Set | Leitura 2min

  Dentre todos os acontecimentos que ocorreram durante a pandemia no ano de 2020, essa construção comercial desenvolvida em Gold Coast, Queensland, na Austrália, pode ser uma das construções sustentáveis mais eficientes do mundo.

  O edifício nomeado CORNERBLOCK acaba de ser inaugurado em Gold Coast e tem uma história curiosa, um investimento de $6 milhões de dólares e uma área construída de 2.256m².

  Ben Sinclair, formado em finanças foi quem se desafiou na pandemia e escolheu desenvolver o projeto, mesmo sem experiência em design ou construção, disse que queria transformar a equação de ‘baixo custo, retorno máximo’ do desenvolvimento comercial, criando um edifício por um preço razoável, ao mesmo tempo em que atendesse aos padrões da indústria de elite e de sustentabilidade.

  Este é o primeiro edifício comercial do mundo a se adequar ao trio do padrão Passive House de eficiência energética, o padrão Green Star de projeto sustentável , construção e operação do edifício e o WELL Building Standard relacionado a como o edifício afeta a saúde, bem-estar e conforto dos ocupantes.

  Interessante, não é mesmo? Imagino que esteja curioso(a) para ver o que tem dentro e fora da propriedade, então vamos lá:

 

  • A propriedade possui 18 carregadores de veículos elétricos e bicicletários com carregamento EV.
  • Ela pode coletar e armazenar 132.000L de água da chuva, que é filtrada e tratada com UV antes de ser bombeada de volta para as dependências como água potável.
  • Conta com o abastecimento de 30kw de energia solar, e previsão de até 160kw.
  • Tem a sua umidade e temperatura internas controladas, com espaços que requerem energia mínima para aquecimento ou resfriamento, ar filtrado para remover finas partículas de poeira, que inclui fuligem, pólen, esporos de mofo e bactérias, e as luzes de irradiação noturnas matam ou inativam microorganismos, como bactérias, vírus, fungos e outros patógenos no ar e nas superfícies.
  • Toda a iluminação interna e externa é de LED, e conta com a iluminação circadiana interna, que imita o brilho do sol.
  • Os materiais de construção e design foram escolhidos de acordo com a sustentabilidade das matérias-primas, a manutenção que exigiriam e a estética arquitetônica.
  • As fachadas externas são feitas de madeira Accoya não tóxica e biodegradável, as bancadas da cozinha e os respingos do banheiro são livres de sílica e feitos de vidro 100% reciclado, e os revestimentos e acabamentos internos atendem às classificações de compostos orgânicos voláteis baixos ou inexistentes.

  E o melhor, o edifício foi construído com um orçamento 30% (trinta por cento) mais barato do que o mais barato do mercado.

  Um dos pontos que Sinclair comenta é o fato das pessoas acharem que as construções verdes são mais caras, e que devemos acabar com este estereótipo, inclusive, com a construção do edifício, quis provar que era possível e inclusive mais eficiente.

Visando contribuir com o crescimento da sustentabilidade, Sinclair disse:

“Esta é uma abordagem de código aberto. Se alguém vier, direi exatamente como construímos este prédio, quais produtos usamos e de onde os pegamos, para que outra pessoa possa ir e fazer isso”.

Você pensa em realizar uma obra sustentável? Tem uma ideia e quer tirá-la do papel? Fale com a Ecocasa Arquitetura! Estamos prontos para te atender de maneira exclusiva e te entregar o melhor por menos!

Posts Relacionados

Quer receber mais conteúdos incríveis como esse, de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por e-mail e ficar ligado no mundo da arquitetura sustentável.